A dramatização como forma de expressão

DRAMATIZACÃO

 

 

O valor didático do teatro já se sentia na Grécia Antiga, pois esta arte era considerada parte da educação de um grego. Marcando a divisão clássica entre a comedia e a tragédia, a cidade parava para assistir as obras de Ésquilo, Eurípides e Sófocles. Tais autores influenciaram muito o teatro e suas peças que são encenadas ate hoje.

Esta arte exige do homem diversas habilidades, tais como, a voz, a expressão corporal e facial, a riqueza do texto e de sua interpretação. Os exercícios e exigências destas habilidades fazem com que a dramatização possa ser um importante fator de diversos aspectos de desenvolvimento.

Trabalhando a dramatização com objetivos educacionais o que importa são os aspectos sociais e psicológicos da criança que se processam no decorrer do processo.

Nos primeiros anos de vida a função de representar e uma manifestação espontânea, importante para a compreensão do mundo e do desenvolvimento da criança. E a forma que ela encontra para interagir, promover o equilíbrio com o meio ambiente.

 

 

A dramatização como forma de expressão

 

Dentre os mais importantes fatores do uso da dramatização estão a desinibição e a auto-estima. O exercício de apresentações constantes, no seio do pequeno grupo, ira contribuir com a estabilidade capaz de enfrentar públicos maiores. O fato de trabalhar com objetivo definido, atrativo e ao mesmo tempo prazeroso, favorecem o empenho e a dedicação.

A dramatização irá exercitar a observação, atenção e disciplina, será sempre vista com adesão a princípios ideais para o bem do grupo.

A criança necessitara expressar aquilo que deseja dentro do contexto que se encontra a historia. Outras formas de expressão também poderão ser solicitadas, através de variações do figurino, no uso de um objeto, por exemplo, uma flor para demonstrar um sentimento de amor, de amizade, etc.

As diferentes formas de expressão necessárias para exprimir os diversos tipos de peças teatrais, comédias, dramas, textos românticos ou jornalísticos, também serão motivo de reflexão e experimentações úteis a vida diária e a futuras composições.

A dramatização também poderá ocorrer através de outras formas de expressão, como o uso de fantoches, de bonecos do tipo ventríloquo, teatro de sombras, marionetes. Estes usos poderão desenvolver outras habilidades mais ligadas ao artesanato. Estes artifícios poderão ajudar seus atores mis inibidos que através de seus bonecos-personagens poderão se soltar mais.

A dramatização como convívio social

 

Desde a apresentação do que fazer ao como fazer, e ao fazer propriamente dito, as interações entre os alunos poderá proporcionar um contexto que exigirá ouvir e acolher opiniões, desenvolver e expressar as próprias, saber avaliar quais de interesse do grupo. Este desafio em grupo irá exigir que cada um conheça seus direitos e perceba a necessidade de tê-los legitimados.

Estas interações se darão através do diálogo, respeito mútuo e respeito às diversidades, pois o teatro é uma expressão coletiva onde se aplica uma relação de cooperação. Cada um tem seu papel e deve executá-lo em harmonia.

 

 

Veículo de mensagem e de expressão do belo

 

 

Trabalhar com dramatização irá possibilitar a visão de sentimento e situações, a aquisição de novas formas de expressão e vocabulário e de experiências estáticas e culturais.

Tal como as histórias, a vivencia com os temas utilizados para as representações permitirão o senso crítico, o desenvolvimento da imaginação e da criatividade.

A dramatização permite o acesso as obras literárias diversas, o que se torna um estímulo a leitura e ao aprendizado em geral., incentiva a curiosidade que leva a pesquisa em fontes de documentação.

Participar de apresentações teatrais seja de forma ativa ou como espectador contribui com um refinamento de senso do belo, de expressão estética e de valorização da cultura clássica popular.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ATIVIDADES REALIZADAS

 

DRAMATIZAÇÃO

 

Atividade elaborada e apresentada por meio de dramatização.

 

 

A GATA MALANDRA

 

Narrador: D. Gata era muito esperta, malandra e preguiçosa. Ela não gostava de trabalhar e por isso passava fome. D.Coelha ao contrário, trabalhava muito, sua casa estava sempre arrumada e tinha sempre comida a vontade.

Um dia D.Gata estava faminta e resolveu fazer uma visita a D.Coelha para saciar sua fome.

Lá chegando, começaram a conversar e a gata contou que tinha três filhos, o que era mentira. Nisso avistou sobre um armário um vidro cheio de melado e ficou doida para comê-lo, mas D.Coelha não o ofereceu.

Aproveitando uma saída de D.Coelha a cozinha, D.Gata começou a beber o melado. Ao voltar D.Coelha perguntou

_Vizinha, como se chama o seu filho mais velho:

 

E ela respondeu:

-Começou.

 

D.Coelha ficou intrigada com esse nome, mas ficou quieta, nada falou.

No dia seguinte, D.Gata voltou à casa da vizinha, esperou uma saída dela até a cozinha e bebeu o melado ate a metade.

Voltando da cozinha, D.Coelha perguntou:

-Vizinha, como se chama o seu segundo filho?

-Tá no meio.

No dia seguinte, novamente D.Gata voltou e esperou a saída de D.Coelha e bebeu o melado todinho.

A coelha já estava desconfiada que alguma coisa estranha estava acontecendo e perguntou:

-Como se chama o seu terceiro filho, vizinha?

_Acabou.

D.Coelha que já estava desconfiada, falou:

_Espere um pouco vizinha.

Ela então foi até o armário e constatou que a gata tinha bebido todo o seu melado e resolveu dar uma lição na gata preguiçosa. Fechou a casa e mandou a gata trabalhar para pagar o melado que havia comido. Só a deixou sair quando acabou de fazer todo o serviço.

 Ao termino, D.Coelha falou:

_ D.Gata, a senhora poderia ter pedido um pouco de melado que eu lhe daria. Isso que você fez é muito feio. Também deixe de ser preguiçosa e vá trabalhar.

D.Gata foi embora muito envergonhada, pensando no que D.Coelha lhe falara.

 

 

 

OBJETIVO DAS ATIVIDADES REALIZADAS

 

 

Dramatização:

v    Trabalhar os conceitos matemáticos de noção de quantidade ao manusear o litro de melado: começou, ta no meio e acabou.

v    Noções de números ordinários: primeiro, segundo e terceiro.

v    Conversar com a criança sobre a origem do próprio nome, se gostam dele, quem lhes deu esse nome ( fazer a dinâmica da Olaria de Deus )

 

 

Jogos Pedagógicos

 

 

Jogo dos dados:

v    Possibilita a percepção visual, através da coordenação motora, constância da percepção, observação, atenção, alfabetização.

v    Modo de fazer: montar dois dados em papel cartão. Em um dos dados desenhar ou colar figuras. No outro dado escrever as palavras correspondentes.

v    Modo de jogar: a criança joga os dados de uma só vez. Ganha o jogo quem acertar mais.

 

Começou, Tá no meio, acabou

 

v    Possibilita percepção visual, figura-fundo, atenção, observação, conceitos matemáticos.

v    Modo de fazer: Pintar ou colar papel colorido em três garrafas plásticas. Na primeira, cobrir quase toda a garrafa, na segunda, cobrir até a metade. Na terceira, colar ou pintar somente uma tira bem fina.

v    Modo de jogar: Os conceitos matemáticos poderão ser trabalhados concretamente. As crianças poderão fazer chocalhos com as garrafas.

 

 

 

 

 

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

 

FERREIRA, Aurora. Contar histórias com arte e ensinar brincando: para a educação infantil e séries iniciais do Ensino Fundamental. Rio de Janeiro: Walk Ed. 2007.

 

 

 

 

 

 

 

 

educação

segunda 14 setembro 2009 16:25 , em projetos para Educação Infantil



Nenhum comentário A dramatização como forma de expressão



Seu comentário :

(Opcional)

(Opcional)

error

Importante: comentários racistas, insultas, etc. são proibidos nesse site.Caso um usuário preste queixa, usaremos o seu endereço IP (54.225.57.156) para se identificar     



Abrir a barra
Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para kellymattos

Precisa estar conectado para adicionar kellymattos para os seus amigos

 
Criar um blog